sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Sentido...


Há quem diga que Rosa morreu naquela noite fatídica
ha quem diga que quem morreu foi Pierre
ou foi Letícia, ou foi Clarisse...
esta louca sucessão de morte e vida
parecia fazer todo sentido
E Pierre sorriu...
Havia chuva, nuvens cinzas
e tudo mais que costumava lhe enclausurar
numa redoma cinza de dor e solidão
mas a memoria triste de Clarisse
dava um tom de certeza de que
tudo havia saído como deveria
e a memoria de letícia
ainda que trouxesse incertezas
se afogaria na memoria fresca
e límpida de Rosa
dos olhos castanhos brilhando por traz
da vergonha
o sorriso certo de que não queria estar
senão ali
e foi assim que Pierre entendeu
que não queria ser, senão a si mesmo
não queria ter, senão o que tinha
e não queria existir, senão pelo fato
de que tudo mais existia
exatamente da forma como existia...
E desta vez, o palhaço triste
sorriu feliz, e fez sorrir tanto quanto
e tudo fez sentido, como ha tempos não fazia...

Um comentário:

NATHALIE ARAUJO disse...

Me acabo lento textos que me deixam curiosa e confusa ao mesmo tempo.